F ó r u m Y a o i P r o j e c t B r

F ó r u m Y a o i P r o j e c t B r


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Indecisão [lemon / +18/ romance]

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

1 Indecisão [lemon / +18/ romance] em Qua Jun 22, 2011 3:45 am



Anime: Vampire knight
Shipper: Kaname x zero
classificação: 18 anos
Avisos: contem spoilers da serie , sexo explicito, romance.
terminada: sim
avisos finais: Vk não me pertence se fosse meu eu ja teria matado a yuuki e teria feito o kaname se ajoelhar na frente do zerito U.ú

espero que se divirtam!!!!!




Indecisão.



Estava cansado. Havia acabado de chegar de uma caçada. Havia sido designado a matar um vampiro de classe alta, sendo assim o combate fora longo e estressante.



Tomou um banho, deitou-se na cama, só assim reparando em um bonito envelope com letras douradas e borda em ouro. Teve um mau pressentimento.



Abriu. Desejando não ser o que imaginava que era. E não poderia estar mais certo.



Era isso mesmo.



O convite.



Leu em voz alta todos os dizeres como se isto pudesse amenizar tamanha dor. Porem sua voz morrera ao ler as linhas escritas no verso do convite.



Revoltou-se, gritou, e derrotado encostou-se na parede deslizando ate o chão.



Ele era assim tão insignificante que Kaname nem se dera ao luxo de conversar com ele. Mas se Kaname não o amava, porque aquelas palavras? Quem ele pensa que é? Seu dono? Seu senhor? Riu da própria desgraça. Sabia que Kaname era muito mais que isso, porque ambos estavam ligados pelo sangue.



Sentiu-se tão insignificante que se pegou desejando sumir pelo mundo, mas não o faria não lhe daria este prazer.



Ouviu passos. Sabia quem era. Ate que sentiu um vampiro ficar entre suas pernas, o abraçando, o devorando com um simples olhar. O corpo quente do vampiro à sua frente empurrou-o ao chão onde o contato seria muito maior.



Corpos colados. Raiva.



-O que está fazendo aqui?



-Eu vim te ver acabou de chegar.



-E a Yuuki?



-Dormindo.



Respirou fundo. Realmente o amava e isso doía muito. Passou a mãos nos sedosos cabelos castanhos e suspirou fundo.



-Esta triste?



-Não porque estaria?



-Deixe de ser uma pequenina criança e cresça.



Kaname viu o rosto triste de outro e nem pensou duas vezes o beijou como há muito não fazia. Por mais triste que aquela situação fosse Zero não conseguia ou não queria, deixar de corresponder. O beijo foi longo e logo o ar se fez necessário.



-Você a ama Kaname?



-Sim.



-E o que esta fazendo aqui?



E Kaname pela primeira vez não soube o que responder. Zero ficou furioso. Levantou-se em direção a porta. Porem uma mão, muito forte, diga-se de passagem, o segurou e o puxou de volta a posição anterior. Kaname irritado, puxou o corpo de Zero contra o seu. Estavam colados um ao outro.



Zero voltou-se ao rosto da figura indignado.



-Me solte agora.



Kaname nada respondeu, aconchegou o outro em seu colo, e o beijou mais uma vez naquela noite. Rapidamente Kaname colocou sua mão por baixo da camiseta que o outro rapaz vestia fazendo carinhos, aos quais conhecia bem os efeitos no vampiro menor.



Zero olhou para o teto branco com dor. Aquilo doía, queimava seu coração.



-Por quê?



Desta vez conseguiu silabar a pergunta que tanto queimava em sua mente. E então sentiu seu pescoço ser beijado, lambido e depois firmemente mordido.



Sentia prazer com aquela mordida, afastou-se do puro sangue e mordeu seu pescoço. Kaname se deliciou. Era tão bom ser mordido por Zero, porem era muito melhor morder aquele pescoço alvo e deliciosamente tentador á sua visão.



Kaname queria Zero. Isso era um fato e em sua visão sempre tinha o que queria. Zero o soltou e Kaname o mordeu, para logo depois beijá-lo.



Zero derrepente sentiu nojo... Nojo do que Kaname fazia a ele e a Yuuki... Ambos sempre se trataram como irmãos e por mais que isso tudo tenha acontecido ele gostava de Yuuki como irmã e não deixaria que isso acontecesse aos dois. Parou, refletiu e viu o que era melhor. Rapidamente levantou-se e puxou sua Bloody Rose apontando-a para Kaname, que se surpreendeu com essa atitude.



-Chega Kaname! Acabou...



-Não irá acabar ate eu dizer que acabou.



-Seu problema é que por ser um sangue puro acha que a vida de tudo e de todos esta em suas mãos, mas não esta.



-Mas eu po...



Antes de Kaname completar a frase, Zero atirou com a Bloody Rose para cima dando um tiro de aviso.



-Chegue perto de mim novamente... E eu te mato.



-Hã você não se esqueceu não é?



-Do que? Da dívida de sangue? Se eu soubesse que isso aconteceria... Eu preferia ter morrido na ocasião.



Kaname desta vez assustou-se de verdade, pois nunca vira Zero desejar a própria morte com tanta convicção. E segundos depois o assombro deu lugar a raiva. E com tamanha força jogou Zero contra a parede fazendo-o desmaiar. Pegou-o no colo e o levou a um quarto isolado no dormitório da Day Class.



Ao chegarem, ele colocou Zero na cama, escreveu um bilhete e partiu.



Rapidamente entrou em seu quarto onde se assustou, pois Yuuki estava acordada.



-Yuuki...



-Kaname-Senpai sente-se... Preciso falar com você.



-O que foi Yuuki?



-Kaname-Senpai eu já sei de tudo... Por isso o único convite que enviei do nosso “casamento” foi o que esta com Zero.



-Yuuki... Não entendi aonde você quer chegar?



-Não é justo o que você faz comigo ou com ele.



-Mas...



-Nada de, mas e nem meio, mas. Você terá de escolher um dos dois, e sua decisão será eterna.



-Não há o que escolher.



-Entre o clã e o amor eu fico com o amor Kaname-Senpai.



E Yuuki saiu do quarto deixando-o sozinho e pensativo. Enquanto isso no dormitório da Day Class, Zero acordava lentamente imediatamente reparando no bilhete em cima do móvel.



-----------------------------No bilhete------------------------



Zero,

Sinto muito se você esta vendo tudo isso de uma forma que eu não previ. Eu não imaginei que você se apaixonaria por mim e vice e versa porem eu não posso deixar a Yuuki sozinha eu prometi. Um dia eu já a amei demais, mas depois de ficar com você ficou tudo claro.

Era um amor fraternal que eu fantasiava docemente como amor verdadeiro.

Sim, eu estou dizendo que estou apaixonado por você. Triste? Sim. Ridículo? Com certeza, mas não podemos ficar juntos... Eu sinto muito.

Ridículo, pois aquele por quem eu me apaixonei de verdade é aquele que mais deseja me caçar. Que final apropriado para alguém como eu.

Eu sinto muito... Por tudo que te fiz passar e sentir.

Eu te amo.



Kuran Kaname



-------------------Fim do bilhete----------------------





E finalmente Zero deu-se por vencido. E decidiu-se. Levantou e foi ate a sala do diretor Cross.



-Mas por quê? Zero-kun você não pode... Não tem para onde ir.



-Eu ainda tenho a casa dos meus pais. E fora que eu sei me virar...



-Está decidido?



-Sim, não há nada que me faça mudar de idéia.



-Quando parte?



-Agora, antes de passar aqui fiz minhas malas.



-Ou seja, você veio se despedir de mim?



-Exato.



-Seja feliz... E me mande noticias.



-Pode deixar.



-Posso lhe fazer uma pergunta?



-Claro.



-Isso tem haver com o casamento da Yuuki com o Kaname?



-Como?



-Sim, eu sei. Ele não sabe o que quer. E faz vocês dois sofrerem por sua

indecisão, então antes de alguma coisa ruim acontecer a sua imouto você prefere partir, partir para não feri-la.



-Que bom que já sabe dos motivos. Assim não me fará voltar aqui nunca mais.



E partiu. Kaname por outro lado ficou pensativo em seu quarto durante quatro longos dias e na noite do quarto dia resolveu sair. Havia se decidido.



-Yuuki, quero falar com você.



-Decidiu-se?



-Sim, me perdoe eu me apaixonei...



-Por ele? Fico feliz onii-sama.



-Mas e você?



-Eu ficarei bem, e alem do mais a minha vida é longa posso muito bem

achar meu amor por ai.



Kaname abraçou sua irmã nunca pensou que ela o apoiaria.



-Vá atrás dele... Eu conheço o Zero ele ainda deve estar muito chateado.



-Arigatou.



Kaname correu noite a fora Zero era um guardião e por isso, pensou que seria fácil achá-lo, mas se assustou quando viu o diretor fazendo a ronda noturna.



-Diretor, onde esta o Zero?



-Sinto muito Kaname-kun ele partiu.



-Partiu? Para onde?



-Para casa, e para sempre.



Kaname não quis ouvir mais nada, não precisava, pois já sabia. De tudo. De fato ele também não esperava por esta reação de Zero.

Partiu também da academia a fim de encontrar Zero em sua antiga residência.



Passaram-se alguns dias e Kaname chegou à casa de Zero. Tinha um ar triste e solitário. Derrepente sentiu o cheiro... Aquele cheiro e simplesmente correu.



Sangue? Sangue?!



Adentrou na casa e viu Zero na cozinha, tentando se virar para comer algo, mas havia se cortado com a faca. E fora ai que percebeu Zero estava tão distraído que não percebera sua presença ali. Então só fez o que seu coração mandou.



-Zero...



-Mas o que? Quando foi que você...



-Shhhh



E Kaname nem deixou completar a frase, só o beijou.



-Mas e a Yuuki?



-Ela já sabia, foi ela que me apoiou a vir aqui.



-O que? Ela já sabia? Mas porque então ela me mandou o convite?



-Porque ele queria que acordássemos.



-Mas...



-Eu te amo, você é a primeira pessoa a me ouvir dizer algo tão humano e

ao mesmo tempo tão verdadeiro.



-Mas eu sou um...



-Um o que? Vampiro? Vampire Hunter? Um level E? Quem se importa?



-Mas você é puro sangue e...



-E eu amo você... Essa historia de puros sangues na família Kuran termina comigo e com a Yuuki.



E depois de tudo que ouviu Zero o abraçou forte, para logo depois se afastar do corpo quente de Kaname e abrir a gola de sua blusa e oferecer o que havia de mais puro para selar esse momento tão feliz e especial: Seu sangue.



Kaname entendeu o convite mudo e o mordeu, sugando seu sangue percebendo, mesmo depois de algum tempo juntos, como o gosto do outro era doce, agradável, gentil... Perfeito.



Passou-se minutos, horas, ninguém saberia responder. Ate Zero se pronunciar pela falta de sangue e por uma coisa a mais.



-Kaname e agora? O que faremos?



-Vamos voltar.



-Está louco? Eu serei morto pelos alunos da Night Class.



-Não, porque você estará comigo e todos saberão.



-Tem certeza que você deseja revelar isso a todos?



-Sim, porque não?



E Zero sorriu a ouvir o que o outro dissera.



-Então quando partimos?



-Amanha ao entardecer.



-Tudo bem. Mas porque só amanha?



-Porque hoje eu quero conhecer sua casa, seu passado e hoje você será Meu!



-Ah você não tem jeito mesmo, não é?



Passou-se um tempo e Zero foi mostrando sua casa para Kaname. Era bonita e tinha muitas fotos dos pais de Zero, de um grupo de Vampires Hunters porem o que mais chamou a atenção em Kaname foram as milhares de fotos que a mãe de Zero tinha dos gêmeos espalhadas pela casa.



Ao chegar ao quarto de Zero ele vira uma foto que o encantou Zero deveria ter uns cinco a seis anos de idade e estava uma gracinha vestido de duende, talvez para uma peça escolar ou na época de natal, não soube dizer mais queria aquela foto.



-Kaname então, gostou daqui?



-Sim, sua casa é muito bonita mesmo. Mas sabe o que eu quero?



-O que?



-Essa foto aqui.



-Mas, eu pareço um palhaço nela poxa.



-Esta kawai eu gostei, me da?



-Ta pode pegar, mas não mostre pra ninguém só pra Yuuki ou te mato

hein.



Kaname nem sendo esperto abraçou Zero e o jogou em cima da cama

enorme que o garoto tinha em seu quarto, começando uma sessão de beijos bem distribuídos pelo corpo dele.



-Ka...Na...Me...



-Tem certeza Zero?



-Tenho chegamos ate aqui, eu quero.



Para Kaname não precisou mais nada atacou o corpo do outro com beijos e chupões, que depois ficariam roxos. Retirou suas roupas e as do garoto abaixo de si e as jogou no chão, logo estavam os dois despidos em baixo de cobertas grossas.



-Ah Kaname...



-Ficara melhor eu prometo.



Kaname desceu ate chegar ao membro do menino e começou a lambê-lo de forma gentil e sexy, deixando o menino abaixo de si insano, gemendo pedindo por mais.



Logo Zero tinha gozado na boca de Kaname, que sorveu todo aquele liquido apreciando mais que o próprio sangue anteriormente tomado.



-Você realmente me encanta Zero... É um delicia.



Zero nessa hora assemelhou-se muito a um tomate.



-Kaname!



-Tudo que vem de você é muito bom.



E então Kaname abriu as pernas do menino e o observou como em um pedido mudo de autorização para prosseguir, Zero entendeu e assentiu levemente com a cabeça.



-Se doer me avise, eu paro.



-Está bem.



E assim Kaname introduzira dois dedos dentro da entrada do menino que se contorceu de dor, mas bravamente a suportou. Passado minutos os dedos já não eram mais suficientes e Kaname entendeu o que seu amado menino queria, retirou seus dedos e o penetrou levemente para não machucá-lo, porem ele era mais velho, mais forte e muito maior que Zero, logo este, sentiu uma grande dor e gritou.



-Eu vou tirar esta te machucando.



-Não... Não quero... Espera só um minutinho.



Para fazer Zero esquecer a dor Kaname começou a acariciá-lo e a beijá-lo e logo segundos depois, Zero já estava pronto. Por fim Kaname introduziu-se ate o final do canal apertado do menino dando provas a ele que esta era sua primeira vez, ele era o primeiro homem de Zero. E se dependesse dele seria o único. E com movimentos calmos atingiu pela primeira vez fundo chegando a próstata do menino, fazendo-o gritar não de dor e sim de prazer.



-Dói?



-Na... Na... Humm... Kaname... Mais...



E prontamente Kaname atendeu ao pedido do menino e começou com estocadas mais firmes, fortes e fundas.



Zero gritava, mas não de dor e sim de puro prazer... Passaram-se minutos assim e Zero não agüentou mais e acabou gozando entre os corpos dos dois. Kaname não agüentou a pressão que aquele canal originalmente já apertado fez em seu membro e gozou logo em seguida.



O menor acabou adormecendo enquanto Kaname apenas o observava com um lindo sorriso nos lábios. Não passou muito tempo acabou por adormecer abraçado a Zero.



Dia seguinte.



Zero acordou por volta do meio dia, reparando que havia dormido agarrado a Kaname em baixo dos cobertores, só então reparou o outro dormia tão lindamente que dava ate pena acordá-lo. Logo roçou de leve seus lábios nos de Kaname e preparou para se levantar quando foi novamente abraçado pelo outro que havia acordado com o toque sutil do menino.



-Bom dia Zero.



-Ah bom dia... Não era pra ser boa noite para você?



Kaname riu com o comentário de Zero e levantou-se avisando que comeriam e partiriam. Fizeram tudo juntos, tomaram banho, almoçaram, conversaram e como combinado antes do entardecer já estavam prontos para voltarem à Academia Cross.



Alguns dias depois e eles já estavam à frente dos portões da academia. E do fundo do pátio vinha uma figura na direção de Zero, com longos cabelos castanhos.



-Zero, seu idiota! – E a figura deu um soco em Zero- Nunca mais faça isso quase mato todos do coração.



-Yuuki... Gomene.



-Bom trabalho Nii-sama, se acertou não é?



-Sim.



-Ainda bem, ufa fico mais aliviada.



-Ah, mas lembre-se Zero ainda somos monitores e se você não se lembra estamos perto do baile de inverno a Day Class hoje dará muito trabalho para Night Class.



Todos os presentes riram.



Zero despediu-se de Kaname com um beijo e foi junto de Yuuki ao dormitório trocar de roupa. Minutos depois estava os dois na porta do dormitório da lua afastando as meninas dos alunos da noite.



-Hai... Hai... Sagateeeee. Ah Zero Haiaku, Haiaku Kotikite! *Detalhe eu usei a fala original do 13° capitulo*



-A só os monitores se dão bem! - reclamou uma menina- Zero acabou ficando com o Kaname-Senpai e a Yuuki tem sempre muitos fãs! Eu também quero!



Num minuto mais sossegado Kaname arrastou Zero com ele para dentro do “Jardim” da academia e o beijou da forma mais carinhosa possível.



-Fico grato por você, ser um vampiro apesar de tudo.



-É por quê?



-Porque posso passar muitos e muitos anos ao seu lado; Eu te amo Zero.



-Eu também te amo Kaname.



-Eu ainda estou na sua lista?



-Que lista?



-A de vampiros que você quer matar.



-Só se eu for te matar de amor ou prazer.



Ambos riram juntos, logo toda a Night Class estava à par da situação de seu líder e ninguém, claro, falou algo contra se quisesse manter a cabeça no lugar.





E terminou numa longa historia de amor.





FIM.

Ver perfil do usuário

2 Re: Indecisão [lemon / +18/ romance] em Qua Jun 29, 2011 8:12 am

Ouuun, que foooofaaaaaaaaaaaa, so não gostei da parte em que a Yuuki fica só, t.t, NÃO PODE NÃO PODE.

OTIMO HINO REI CHAN traga mais dessas historinhas pra gente(fã que nem sabe como se chama esse tipo de historia inventada, tragico), *-*.



Um mundo... um universo

Ver perfil do usuário

3 Re: Indecisão [lemon / +18/ romance] em Qui Jun 30, 2011 8:38 pm

thanks honey^^

o nome é fanfic! ^~

pode deixar a proxima que trarei sera uma de uraboku *0*

Ver perfil do usuário

4 Re: Indecisão [lemon / +18/ romance] em Sex Jul 01, 2011 9:12 am

Kkkkk, yes, fanfic. Ouuun, traz siiim, eu adoro URABOKU, principalmente quando é Luka e Yuki, *-*, mas claro, tbm adoro daquele outro de cabelo cinza(esqueci o nome), que tem uma irmã.
P.S.: Hiiiiino, escolhi seu tópico pra inaugurar minha nova assinatura, *-*.




O amor supera barreiras, ele inventa, diferentes formas de nos unir... pois todos querem... amar.

Ver perfil do usuário

5 Re: Indecisão [lemon / +18/ romance] em Sab Jul 30, 2011 5:04 am

ounnnnn :3
Ameey

Ver perfil do usuário

Conteúdo patrocinado


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum